Eventos

Dentro ou fora do Campus, os cursos marcam a atualidade pela diversidade de iniciativas.

Licenciatura em Ciências da Comunicação 2019/2020: trabalhos dos finalistas em destaque na iniciativa “Como é que CC Mexe!”

O Grupo de Alunos de Ciências da Comunicação da Universidade do Minho (GACCUM) organizou o evento online ‘Como é que CC mexe!’, com o apoio da Direção da Licenciatura em Ciências da Comunicação, com o intuito de partilhar trabalhos desenvolvidos no último ano. Ao longo de cinco dias, foram divulgados os projetos finais das três áreas da Licenciatura em Ciências da Comunicação: Publicidade e Relações Públicas, Audiovisual e Multimédia e Informação e Jornalismo. Para culminar esta semana de partilha, os estudantes e os respetivos docentes orientadores dos projetos estiveram presentes numa sessão reservada de Zoom, na qual discutiram o desenvolvimento dos trabalhos e os desafios inerentes à concretização de projetos de Comunicação, em tempos de pandemia. Todos os trabalhos podem ser vistos no grupo ‘Como é que CC mexe!’, criado pelo GACCUM no Facebook.  (Sessão Zoom com docentes e estudantes)

Professora Sara Pereira com agregação em Ciências da Comunicação

Nos dias 9 e 10 de julho, tiveram lugar as provas de agregação da Professora Sara Pereira, docente do Departamento de Ciências da Comunicação, com uma lição sobre “Crianças, jovens e media na era digital: consumidores e produtores?”. O júri, que aprovou a prestação da Professora Sara por unanimidade, foi presidido pela Professora Helena Machado, tendo como vogais os Professores Maria Cristina da Ponte (Universidade Nova de Lisboa), Manuel Pinto e Maria Helena Carvalho e Sousa (ambos da Universidade do Minho), Joaquim Serra e Tito Cardoso e Cunha (ambos da Universidade da Beira Interior) e José Perez Tornero (Universidade Autónoma de Barcelona). As provas realizaram-se através da plataforma Zoom. O Departamento de Ciências da Comunicação felicita a Professora Sara Pereira por esta nova etapa académica ultrapassada com sucesso.

Conferência adiada para 2021 | Chamada de trabalhos: conferência final do programa doutoral em Estudos de Comunicação

A democracia está ameaçada em muitas partes do mundo. O surgimento de forças políticas autoritárias e iliberais e o aumento da intolerância no discurso político podem estar ligados a uma variedade de fatores, nomeadamente a desconfiança nas instituições políticas, que por sua vez têm sido exacerbados pela desigualdade e injustiça económica crescentes. Além disso, formas de comunicação populistas e xenófobas nos espaços digitais vêm alimentando o medo e o ódio. A diminuição da diversidade e do pluralismo no jornalismo e nos debates dominantes também contribuem para a condição frágil das democracias, tanto as mais antigas, como as mais recentes. Para além disso, a diminuição do interesse pelas notícias políticas torna os cidadãos menos capacitados na relação com forças que moldam a sua vida. Em contraste, vários novos modos de envolvimento com a res publica têm surgido num ambiente informacional cada vez mais complexo. Vários países têm observado um crescimento significativo de formas alternativas de jornalismo, que estão muitas vezes ligadas ao ativismo por mudanças sociais. A discordância política tem sido sustentada por intercâmbios simbólicos nos/através dos média digitais e, em alguns casos, levou a alterações significativas na ordem política predominante. Organizações da sociedade civil, grupos e movimentos sociais vêm desenvolvendo modos alternativos de organização, autogovernação e ação coletiva que podem estimular alterações mais amplas nos órgãos políticos, além de gerar novos desafios e tensões. Concomitantemente, o envolvimento político da extrema direita também se tem disseminado e intensificado, e um novo arsenal de práticas antidemocráticas tem surgido na Web, às vezes ameaçando subverter instituições democráticas importantes, como o jornalismo, o debate público e até as eleições. Embora reconheça as ameaças à democracia, esta conferência visa ir além delas e discutir práticas de comunicação que possam revigorar a política democrática. Num contexto de problemas sistémicos que estão a produzir várias formas de insustentabilidade, bem como da difusão de discursos que promovem mudanças transformativas progressistas nas sociedades atuais, surgem questões importantes para os investigadores de ciências da comunicação e outros cientistas sociais: como estão os média digitais a ser utilizados para uma mudança estrutural e democrática? Que sinais podemos encontrar de um envolvimento significativo com políticas de transformação? Como pode o conhecimento científico contribuir para esses debates e desenvolvimentos? Assumindo que é imperativa uma mudança fundamental nas sociedades atuais, uma política democrática radical implica abrir o futuro ao que ainda não foi dado. Para entender as possibilidades e os constrangimentos dessa mudança simbólica, há uma necessidade vital de investir em investigações aprofundadas sobre casos e exemplos de comunicação que seja política e radical. Lança-se o convite para o envio de propostas sobre comunicação para mudanças democráticas transformativas, abordando (entre outros) os seguintes temas: – Democratização dos usos das tecnologias digitais; – Envolvimento político no atual ambiente de comunicação; – Comunicação dos movimentos sociais para uma mudança transformativa; – Práticas de comunicação na organização de um ativismo transformativo; – Formas alternativas de jornalismo e contribuições para a mudança social; – Ativismo democrático nos média; – Riscos associados ao ‘cidadanismo’ (‘citizenism’). Os resumos (400 a 500 palavras) podem ser enviados pelo seguinte endereço de e-mail: communicationfortransformation@gmail.com A língua de trabalho será o Inglês. Os trabalhos selecionados serão publicados num livro. Oradoras convidadas confirmadas: Natalie Fenton, Goldsmiths College, Universidade de Londres Alice Mattoni, Universidade de Bolonha

Professor Joaquim Fidalgo: um percurso ímpar no jornalismo e na academia. Última aula foi a 4 de junho

Para o Professor, este é um fim de um ciclo, destacando a “sorte” que teve em poder realizar as carreiras de “jornalista e de professor”. No momento da ‘despedida’, o seu testemunho pode ser lido numa entrevista conduzida pela Professora Madalena Oliveira. O Departamento de Ciências da Comunicação agradece a sua contribuição, salientando o seu valor como profissional e pessoa.

Martin Dale defende Doutoramento em Ciências da Comunicação

No passado dia 25 de junho, o Professor Martin Dale prestou provas de Doutoramento em Ciências da Comunicação, na Universidade do Minho, obtendo, por unanimidade, a classificação de ‘Muito Bom’.  A sua tese, intitulada “The Dream Machine: moving beyond the dichotomy between genre and auteur cinema”, contou com a orientação dos Professores Moisés de Lemos Martins e Nelson Zangalo.  O júri, presidido pela Professora Helena Sousa, teve também a participação dos Professores Manuel Pinto, Manuela Maria Penafria, Alberto Sá, Daniel Brandão e Pedro Teixeira.  O Departamento de Ciências da Comunicação felicita o Professor Martin Dale por esta nova etapa académica atingida com sucesso. 

ICA atribui financiamento às “Produções CC-UMinho: Projetos Audiovisuais Curriculares em Ciências da Comunicação, Univ. do Minho”

No âmbito do “Apoio à Formação de Estudantes que Frequentem Cursos Especializados na Área do Cinema e Audiovisual / 2020”,  o ICA – Instituto do Cinema e do Audiovisual valorizou a candidatura “Produções CC-UMinho: Projetos Audiovisuais Curriculares em Ciências da Comunicação, Univ. do Minho” com um financiamento anual durante três anos. O montante servirá para melhorar a oferta formativa na área do Audiovisual e, simultaneamente, fortalecer as restantes áreas do curso de Ciências da Comunicação, através da renovação de equipamento dedicado, do alargamento de novas valências técnicas, do apoio aos trabalhos que envolvam custos de produção e, ainda, da realização de workshops especializados com convidados de renome. Este financiamento vem consolidar a colaboração com o ICA, numa relação estabelecida com esta entidade no concurso prévio de 2017.        

Best of CC-2019

Best of CC-2019

Uma seleção de excertos dos melhores trabalhos de alunos desenvolvidos em Audiovisual e Multimédia na Licenciatura e Mestrado de Ciências da Comunicação, Universidade do Minho, em 2019.

Visita ao Teatro Circo

Adriano Ferreira Borges A 16 de abril de 2018, a turma da edição 2017-2019 do MCAC, esteve à conversa com o diretor artístico Paulo Brandão e a responsável pela comunicação Luciana Queirós da Silva do Teatro Circo. Foi mais uma sessão do Ciclo de Sessões com a participação de profissionais com currículo relevante na área da cultura, que ocorreu desta feita no âmbito da visita a este reconhecido equipamento cultural da cidade de Braga. Adriano Ferreira Borges